Terça-Feira, 16 de Jaeiro de 2018

 
 
 
 
 
 

Home >> Notícias >> AEC Kauê implanta Projeto Mexendo o Esqueleto no Parque Linear Rio Verde

 
 

AEC Kauê implanta Projeto Mexendo o Esqueleto no Parque Linear Rio Verde

 

O esporte é um caminho seguro que oferece oportunidades para crianças e adolescentes, resgatando-os ou impedindo-os que se envolvam no mundo das drogas.

 
 

10/03/2014 Fonte: Foto/Divulgação

 

Fonte:Fran

Um caminho que os transforma em cidadãos do bem, com valores morais e éticos e com saúde física e mental para agregarem valores à sociedade.
Nesse sentido, é valoroso o trabalho desenvolvido pela AEC Kauê, afastando crianças e jovens das drogas, retirando-os das ruas e da situação de risco, oferecendo-lhes os conceitos de disciplina e respeito. Um trabalho de base, que resgata vidas através do esporte.
Mas não é uma atividade exclusiva e que beneficia apenas os jovens e as crianças, por este motivo o fundador da AEC Kauê Itaquerense e coordenador dos projetos da entidade que luta pela inclusão social através do esporte, leva o projeto “Mexendo o Esqueleto” para o Parque Linear Córrego do Rio Verde, Francisco Carlos ou Fran Kauê como se tornou conhecido faz questão de 03 vezes por semana (segunda, quarta e sexta) às 07 horas da manhã, ministrar as aulas de alongamento antes da caminhada matinal com aproximadamente 50 pessoas.
O principal objetivo da atividade física para o público da 3ª idade é ajudar no combate ao sedentarismo, a inclusão da atividade esportiva sem compromisso com auto rendimento, faz com que as pessoas desenvolvam o hábito de caminhar, alongar e exercitar-se. O exercício físico para a 3ª idade traz benefícios como controle da diabete e pressão arterial, finaliza Fran.
Para o administrador do Parque Linear Sergio Sales, é fundamental que a comunidade ocupe os espaços com projetos como este, isso dá força e motivação para continuar lutando cada vez mais por melhorias para o espaço.
Parabéns à AEC Kauê Itaquerense, ao coordenador Fran e ao Sergio Sales pela excelente iniciativa.

 
 

Você comenta: